quarta-feira, 19 de outubro de 2011

NOSSO ABISMO TEMPORAL

A viagem é sempre longa e eu sempre sei o meu objetivo: você.
Naquele futuro distante, tudo o que eu sabia era o motivo por que me perdi. Não sabia mais nada... Sua cidade tinha ruas de labirintos e ladeiras nas quais me perdi de muitos outros... Não havia nada claro pra mim.
Poucos chegaram comigo ao meu destino e quase ninguém entendeu a moral da história como eu entendi.
Seu condomínio não tinha mais as casas de cerca viva, nem observatórios noturnos... Talvez nem a grama fosse mais a mesma. Todos pisavam pra lá e pra cá, em um festival sem nenhum nexo para mim. Eram chalés brancos, mas não mais enumerados. Eram lojas, hotéis, ambulantes por todos os lados, vendendo o que eu não compraria ali.
Avistei alguém varrendo folhas debaixo de algumas árvores e vi sua silhueta naquela pessoa. Corri o mais rápido que pude. Deixei quem estava comigo parado ali, sem entender. Puxei você pelo ombro e falei seu nome. Mas não te encontrei. Me senti frustrado... Era alguém de pele envelhecida e olhar tristonho, como se esperasse qualquer coisa menos a revolução. Perguntei por você. Tudo o que me foi dito: aquela pessoa envelhecida não lhe via com bons olhos... Perguntei por sua morada. Mesmo tendo alguma noção, corri entre todos os chalés, transeuntes e vendedores... Você não estava por ali. Invadi casas, bares ao ar livre, passei pelos que esperavam sentados na grama... Ninguém. Minha visão escureceu aos poucos... até eu me esquecer de que existia...

A noite parecia mais longa que todas as outras. Acordei de um sonho quase pesadelo, de um pesadelo quase sonho, na madrugada fria. Estava em busca de alguém que amei muito. Meus dentes sangravam porque ringi-os fortemente e travei minha mandíbula enquanto tentava resgatar o sonho do despertar, ou qualquer coisa que quisesse dizer que eu queria era voltar pro seu mundo e te encontrar no meio das pessoas, não me importando quanto tempo isso fosse levar. Meus dedos em ambas as mãos estavam doloridos demais, em todas as juntas, porque os apertei fortemente...
Não adiantou, foi apenas um sonho. Foi apenas um pesadelo... Agora, depois do dia frustrante que tive e cansado, só precisava entender por que você veio me visitar depois de tanto tempo, assustando-me com minha força inconsciente, amaldiçoando meu cotidiano na forma de um velho que varria as árvores de minha memória doentia...




Oswaldo Juliano Sandi





terça-feira, 27 de setembro de 2011

Motherland

No dia em que você partiu em sua jornada, como de costume, você acenou: "Até mais..." Foi como se fôssemos nos reencontrar amanhã novamente, neste mesmo lugar. Acreditar no amor significa acreditar que não me perderei. Até o dia em que meus sonhos se tornem realidade, eu vou estar sorrindo, fitando as estrelas e orando por estar aqui. Eu quero ser um céu para você, abraçar até mesmo sua tristeza... Toda vez que olhar pra cima, você vai saber que não está sozinho como se estivéssemos pensativos... Para que então haja sempre um lugar para você retornar... 


Motherland (Música de Full-Metal Alchemist)


Oswaldo Juliano Sandi

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

THINKING OF YOU - KATY PERRY (Tradução Livre)


(Pensando em Você)


Comparações são facilmente feitas, uma vez que você experimentou a perfeição. Como uma maçã pendurada em uma árvore, eu peguei a mais suculenta e ainda tenho a semente...
Você disse: "siga em frente..."
Pra onde vou?O razoável é tudo o que eu conheço, porque quando estou com ele(a), estou pensando em você. O que você faria se você fosse o (a) único(a) com quem eu passei a noite. Oh, como eu desejo estar olhando em seus olhos...Você é como um verão indiano no meio do inverno, é como uma bala com surpresa no meio. Como eu vou buscar o melhor se eu já o tive? Você diz que as águas estão abundantes, então vou tentar experimentar. Ele(a) beijou meus lábios, eu provei a sua boca. Ele(a) me abraçou, fiquei com nojo de mim mesmo... Porque quando estou com ele(a) estou pensando em você. O que você faria se você fosse o (a) único(a) com quem eu passei a noite. Oh, como eu desejo estar olhando em seus olhos...Você é o (a) melhor e, sim!, eu me arrependo... Como eu pude me permitir te deixar partir... Agora, lição aprendida, me sinto queimando... Oh, acho que você deveria saber...Seus olhos... olhando em seus olhos... Oh, você não voltará, não arrombará a porta e me levará embora?
Oh, sem mais enganos, porque em seus olhos eu gostaria de ficar...





Oswaldo Juliano Sandi

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

. . .


"A vida inteira fui barulhenta, ao ponto de me dizerem para calar a boca.
A única razão que eu tinha para isso era porque precisava gritar para ser ouvida na minha família.
Minha família? É, vocês leram certo. O lado da minha mãe é bem legal, a família do meu pai é a extravagância cantante, dançante musical, tudo musicalmente pirado.
Disseram-me que era dotada de uma bela voz, e acho que a culpa disso é do meu pai.
Ao contrário do meu pai, de sua criação e seus ascendentes, quero fazer alguma coisa com o talento com o qual fui “abençoada”.
Meu pai se contenta em cantar em voz alta em seu escritório e em vender janelas. Minha mãe, no entanto, é química. Ela é quieta, reservada.
Eu diria que minha vida escolar e boletins escolares estão cheio de “poderia fazer melhor” e “não aproveita seu potencial máximo”.
Quero ir para algum lugar em que possa ir até o meu limite e talvez mesmo além.
Cantar em aulas sem que me digam para calar a boca (desde que sejam aulas de canto). 
Mas, principalmente, tenho um sonho de ser muito famosa. Trabalhar no palco. É uma ambição da vida inteira.
Quero que as pessoas ouçam a minha voz e simplesmente... esqueçam seus problemas durante cinco minutos. 
Quero ser lembrada por ser uma atriz, uma cantora, por concertos repletos e shows lotados West End e na Broadway.

Por SIMPLESMENTE ser... EU".


TEXTO DE AMY JADE WINEHOUSE - Sylvia Young Theatre School
AOS 13 ANOS


Oswaldo Juliano Sandi

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

FELIZ ANIVERSÁRIO!!!!

Criei este pequeno trecho para homenagear minha amiga Carolina Borges e para agradecer por tudo que ela tem feito sempre por mim.
Felicidades Carol!!!!


"Muitos poderão viver por cem anos e mesmo assim se esquecer das coisas realmente importantes...
Muitos poderão criar e conviver com seres humanos maravilhosos e mesmo assim negligenciar suas reais necessidades...
Nós nunca saberemos qual o nome, nem nunca poderemos enxergar esta rede invisível incrível que nos conecta de tal forma que jamais esqueçamos as pessoas que passaram por nossa vida.
Nem os dias, nem as horas, nem os minutos... Nada poderá vencer a experiência das coisas vividas com o coração..."


Oswaldo Juliano Sandi

PORQUE FRAQUEJA... (OU A ÚLTIMA FESTA)

De repente me vi...
Caído.
Chorando a inexistência de um mundo que existia nos livros da escola e no discurso dos mestres.
Chorei por cada sonho decepado à raiz, chorei pelos amigos que, na realidade, nunca fiz. Chorei pela realidade dura de ter pouco tempo pra me divertir e muito para vender...
Vendi meu tempo, vendi meus sonhos, parcelei a felicidade em pequenas gotas capitalistas... Roupas, conquistas, brinquedos, pessoas...
As pessoas se vendem dia e noite. Se vendem ao trabalho, se vendem aos amigos, se vendem ao amor... De repente, me vi pagando pra ter amigos, pagando pra ter um amor (que já se foi), pagando pra ter dinheiro e pagando dinheiro pelo que tenho muito pouco.
Os sonhos ficaram nas músicas. Os amigos ficaram nos filmes. O amor ficou no passado. Cada lágrima que choro não importa mais pra nada. Meu analista está mudo e não é meu amigo...
Ontem, me vi sozinho, vendido a uma festa, entre jovens desesperados por felicidade, injetando álcool e drogas no corpo. Meu 'amigo' não estava lá pra mim, estava lá por outros, que pagaram melhor o preço da amizade.
E eu estava realmente sozinho.
Muitas pessoas, ninguém presente pra me ouvir.
Se isso dói? Venho descobrindo isso desde os dezoito anos. Venho sofrendo cada tapa que a morte me dá na cara, gritando em meus ouvidos que não vai valer a pena correr atrás de tanta coisa. Meus ossos fraquejam, estou ficando arcado, meus dentes estão fracos...
Meus sorrisos já estão quase todos vendidos e eu morro a cada domingo. Morro a cada reticência.
Ninguém nunca poderá fazer nada por mim, por mais amigo, por mais amante, por mais ouvinte, por mais querido... Acontece que sou eu mesmo a engrenagem girando fora do eixo, espanando toda a máquina, precisando cedo ser substituída, porque fraqueja...





Oswaldo Juliano Sandi

domingo, 3 de julho de 2011

MEU PRIMEIRO AMOR...

Tarde da noite, por estes dias, tenho refletido muito. O arrependimento sempre volta a minha memória com um gosto doce. Eu queria mesmo era voltar no tempo, refazer todo aquele caminho que fizemos, não cometer tantos erros e esvaziar muitas outras garrafas de champanhe. Queria ter desbravado todos os mares contigo, porque acho que foi isso que valeu a pena. Ser um desbravador do universo... Eu tinha sede! Sede de verdade, sede da doçura que era conhecer o que é humano... Eu era ingênuo...

Hoje, em meio ao arrependimento, só tenho desejos de ter uma outra vida, desejo viver um outro alguém, só pra passar por este caminho de novo...

O primeiro amor é terno.
O primeiro amor é ingênuo e infantil, é desequilibrado, mas cuidadoso...
O primeiro amor é sempre seguro, mesmo quando descuidado.
É sempre honesto, mesmo que em ignorância.
O primeiro amor é sempre claro mesmo como a chuva fina no meio do sol em fim de tarde...
É dócil, ainda que às vezes triste.
É simples, mesmo que pareça complicado...
Nada nunca será tão surpreendente quanto o primeiro amor.

Em meio à ruína da minha vida, só o que me faz sorrir é a esperança de que o amor exista. Posso confiar nisso de olhos fechados, porque um dia eu vivi o amor de verdade, completo, amor/metade, complexidade irredutível, simplicidade inexorável...

Obrigado por ter vivido comigo a parte mais doce da minha vida... Espero que saiba que me lembro de ti em todos os cálices amargos que sou obrigado a beber fingindo que aquele amor voltará...
Em todos os olhares por que passar... nenhum me verá de verdade, como você viu.
Nenhuma mão que me tocar sentirá a sinceridade da minha pele.
Nenhuma palavra que me for dita terá a credibilidade das suas palavras.
Nenhuma corrente aguentará o peso da distância como a nossa corrente aguentou...

Todos os nossos elos estão em pedaços, porque o tempo enferruja qualquer fortaleza. Mas apesar disso, quero que sinta em seu coração todos os dias a energia do meu bem querer...





Oswaldo Juliano Sandi

sexta-feira, 24 de junho de 2011

POLIVISUAIS


Agora imagina...
Se uma borboleta vai voando, voando... E suas asas desvanecendo... Primeiro a cor em pó, depois as escamas de brilho. Então, sem asas, restam apenas os pés, pedalando o vento, em queda, rumo ao chão. E ela cai imóvel, em agonia, secando ao sol os olhos negros, polivisuais...
EXISTE APENAS UM MOMENTO PARA NÓS...
É o momento em que saltamos e e nos libertamos de todo o peso, todo o cansaço. E toda a dor fica no ar por apenas um momento, deslumbrando os inimigos da gente... E ninguém pode ver a queda, porque o ar está brilhando.
Meu sonho é que meu brilho cegue a todos, para que não possam nem sequer conceber a ideia do meu fim...

Oswaldo Juliano Sandi

QUEM VOCÊ É... (Tradução Livre: Who You Are? - Jessie J)

Olho para o meu reflexo no espelho, por que estou fazendo isso comigo mesmo? Perdendo minha mente em um pequeno erro. Quase deixei meu verdadeiro eu de lado.
Não, não, não! Não se perca na névoa das estrelas!
Ver é enganar-se, sonhar é acreditar...
Tudo bem não estar ok, às vezes é difícil seguir seu coração. Lágrimas não significam que você está perdendo... Todos têm seus hematomas. Apenas seja verdadeiro com quem você é...
Quem você é?
Escovo meu cabelo... eu pareço perfeita? Esqueci o que fazer para me encaixar ao modelo estabelecido, quanto mais tento, menos isso funciona...
Porque tudo dentro de mim grita: Não, não, não!
Não há nada de errado em ser quem você é...
Sim's, nãos, egos tão falsos...
Só vá embora e me deixe sozinho.
Papo real, vida real, boa sorte, boa noite... com um sorriso... Este é o meu lar.
Não, não, não! Não se perca na névoa das estrelas!
Ver é enganar-se, sonhar é acreditar...
Tudo bem não estar ok, às vezes é difícil seguir seu coração. Lágrimas não significam que você está perdendo... Todos têm seus hematomas.

Apenas seja verdadeiro com quem você é...




Oswaldo Juliano Sandi

segunda-feira, 20 de junho de 2011

PROCURANDO (Tradução livre: Looking Out - Brandi Carlile)

Eu já saí à procura de respostas, embora nunca tenha deixado a minha cidade. Eu sou meio confuso, mas sou bom em manter os pés no chão. Quando procurei respostas de um pregador, eu era jovem demais e não compreendi. É que algumas pessoas conseguem a religião, mas outras ficam com a verdade...
Eu sei que a escuridão cai sobre você e isso é apenas um ponto de vista, porque quando você olha pra si mesmo, percebe que pertence a alguém... E quando você sente vontade de desistir, quando o fim se aproxima, como se seu coração fosse quebrar em dois, você percebe que alguém ama você...
Deitado, posso sentir o peso dentro de um baú em meu peito como se tivesse o peso de alguém, então eu descanso assim, fingindo que existe uma troca. Então tenho uma nova interpretação, é um ponto de vista melhor: você estava procurando por algo grandioso e eu estava procurando por você... Alguém estava procurando por você...
Eu tenho medo de atravessar fronteiras...
Eu tenho medo de alçar voos cegos...
Medo das mentes questionadoras, medo de ser deixado para trás...
Eu fecho os olhos, penso em você...
Dou um passo e penso em você...
Recupero o fôlego e penso em você, não consigo dormir, eu só penso em você...
Minha primeira e única força avassaladora, você está derrubando minhas paredes.
[Quando você olha pra si mesmo, percebe que pertence a alguém... E quando você sente vontade de desistir, quando o fim se aproxima, como se seu coração fosse quebrar em dois, você percebe que alguém ama você...]







Oswaldo Juliano Sandi


sexta-feira, 17 de junho de 2011

VOCÊ PARTIU CEDO DEMAIS... (Tradução livre: Gone Too Soon - Simple Plan)


Hey, aonde você foi? Você me deixou de forma tão inesperada. Você mudou minha vida e espero que você saiba disso, porque agora estou perdido e tão desprotegido...
Em um piscar de olhos, eu não tive a chance de dizer adeus.
Como uma estrela cadente, voando pelo quarto, tão rápido e tão distante. Você partiu cedo demais...
Você é parte de mim, e eu nunca serei o mesmo sozinho sem você. Você partiu cedo demais...
Você sempre esteve lá como uma luz que brilhava nos meus dias mais sombrios para me guiar.
Oh, como sinto sua falta agora, queria muito que você pudesse ver o quanto aprecio sua lembrança...
Brilhe! Em um lugar melhor...
Brilhe! Nunca mais será do mesmo jeito.
Brilhe... Você partiu cedo demais...



Oswaldo Juliano Sandi

terça-feira, 7 de junho de 2011

DEFASADOS (ou NOSSO ERRO)

Meu erro é a fé.

Meu erro sempre foi tentar negar a fé torturante que existe dentro de mim, mesmo quando não quero. Mesmo quando não existe nenhuma possibilidade de conquistar o sonho...

Seu defeito é ser instintivo. Seu defeito e sua melhor qualidade são, ao mesmo tempo, seu instinto para tudo que é bom e lhe agrada...

Às vezes sinto que você estacionou em alguma fase muito anterior à que você deveria estar. Você está parado em algum momento onde a luta incessante pelo que se deseja vale sempre a pena. Vale sempre muito a pena para você seguir o que manda o seu instinto... Isso não é ruim. Isso é apenas ruim para uma pessoa como eu, que insiste na fé insustentável que eu carrego por você. Pela gente. Por um nós...

Vislumbro em você a paixão que se resume primeiro ao desejo carnal, em detrimento de tudo. Eu tenho a paixão congelada dos poetas que morreram pela sociedade, presa solitária no mundo das idéias...

Nosso acontecimento não se deu ainda. Nosso acontecimento nem se dará, porque analisando friamente, somos tão opostos quanto defasados.

Minha dor em pensar nisso tudo tem sido diária. Tem se refletido na minha voz triste a cada telefonema e no meu sorriso desesperado em cada pausa.

Odeio a espera, abomino a sistemática temporal de cada etapa e corrijo cada frase mal dita com uma conjugação eloqüente e fria. Mas a realidade é que o tempo não possibilitou o real desenvolvimento disso tudo, chegamos aqui defasados, desalinhados, cada um em uma dimensão independente. Nosso encontro foi rápido como o vulto fantasmagórico que se vê em um milésimo de segundo e depois parte para algo além, ultradimensional... Não existem fórmulas para solucionar. E minhas palavras agora silenciaram.

Queria tanto, queria muito, ainda quero, mas não existirá nenhuma conjugação que confronte o que eu desejo do que será de verdade. Porque todas as letras se espalhariam pelo chão frio deste inverno pelo qual passo sozinho.

Vou passar uns dias distante. Vou tentar evitar nossa comunicação. Vou ocupar minha cabeça com alguma coisa valiosa pra minha fé incessante... Mas eu tenho que ser forte e entender que insistir em você é me enganar redondamente, pedindo aos céus a ilusão que eu sempre desejei afastar...

E vou continuar aqui sozinho, vivendo as verdadeiras tempestades particulares, na espera de que eu um dia saiba viver em solidão...







Oswaldo Juliano Sandi

quinta-feira, 2 de junho de 2011

MINHA TEMPESTADE PARTICULAR...


As ruas desertas de uma cidade nunca saberão a origem da primeira gota que embaralha a poeira das suas calçadas. Nem nunca entenderão como uma tempestade é feita de milhares de gotas caindo forte no chão...
Seus postes, suas árvores reluzentes, esticando seus galhos como mãos em concha em busca de água... Nenhum ser entenderia sua chegada se não tivesse vivido este momento como eu vivi.
Eu estava lá quando as primeiras gotas caíram. Eu estava lá quando vi sua imagem despontar bem à minha frente no horizonte, iluminando meus olhos. Sim, eu não acreditei no milagre de um arco-íris, eu só vi as nuvens da tempestade ao meu redor. Eu estava lá, quando com um nó na garganta marcamos nosso encontro. Eu estava lá quando nossos olhos se encontraram e eu tremia de frio e de angústia. Eu estava lá quando fui aceito e querido, quando fui embalado nas minhas melodias mais íntimas e solitárias... Eu estava lá quando te vi pela primeira vez sorrindo sem movimento, falando sem emitir um som, se movimentando, deslizando calmo e silencioso como uma tempestade monstruosa...
E como a tormenta que traz junto o vento na estação mais quente, nos abraçamos... e todos os sons juntos vieram, cantando em uníssono uma ode à beleza de um mundo insensível.
Eu pude ouvir, ver e sentir, vindos da mesma fonte: teu rosto, tua voz, tua pele, tua fala...
E como se eu não pudesse fazer nada, deixei que a tempestade caísse sobre mim, esperando pela luz do sol, e sentindo ainda na boca o gosto das suas primeiras gotas...

Oswaldo Juliano Sandi

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A ALMA DO LAGO...


Existem as pessoas que dizem que Rihanna não é algo bom de se ouvir... Mas ela me jogou com muita força num passado que eu vivi... Me fez relembrar todos os lagos com os quais falei, todos os lagos que me disseram algo e todos os que me confortaram...
Não sou louco. Não converso com as coisas... Não ouço as respostas delas...
Mas conheci muitos lagos. Alguns muito ricos. Alguns carregados de algas que cobriam a superfície da água, alguns abandonados, alguns intensos. Alguns monstruosos, dispostos a derramar a sua fúria em dias de chuva forte...
Não posso me esquecer de nenhum deles. Não posso me esquecer das árvores que os rodeavam... Conversei com todos... Conversei com todas as árvores lindas que já vi em minha vida... Observei os galhos torcidos como viajantes do deserto clamando por água. Observei a sua sombra mais fresca que todas as sombras e pensei que nem mesmo as árvores podem escapar da natureza sombria deste mundo...
Nem mesmo os lagos. E era noite naquele dia. Naquele lago... Com você ao meu lado...
E aqui está. Mais um texto reticente e entroncado de idéias feito enchames, inundando minha mente, como se tudo o mais fosse explodir antes que meus dedos gritassem para a tela o que eu quero dizer...
Nem sei se tenho algo a dizer... Sou uma cascata correndo entre as árvores da encosta do rio e procuro um campo aberto onde repousar...
Todas elas sorriem, e lá atrás, na calmaria que me abandonou, vejo o nosso lago sorrindo para mim, mesmo no escuro, mesmo na injustiça do passado, mesmo com os dentes sujos de barcos e carros mal encarados...
Somos aquele lago que ficou no passado... e nas minhas lembranças...
Em algum lugar de mim, não importa, amo muito você...


Oswaldo Juliano Sandi

segunda-feira, 2 de maio de 2011




Enfim, a luta contra um terrorista foi vencida. Mas, algumas horas depois, o mundo continua o mesmo, o maior terrorista de todos vive dentro de nós: o ÓDIO...


Oswaldo Juliano Sandi

quinta-feira, 28 de abril de 2011

SOBRE TUDO QUE QUIS, SOBRE O QUE TENHO E SOBRE A DÚVIDA...


Não queria aparentar inveja ou coisas do tipo, mas nem me importo... Não queria que fosse assim e ninguém nem se importa pela forma como tudo é...
Tudo tem sido tão sofrido... Tão forçado... Tentar dia a dia, contar cada segundo pra poder respirar e dizer: lá se foi mais um dia! Fico pensando no meu exercício diário, fico me perguntando se uma hora isso tudo vai se tornar só mais uma prática inconsciente... Mas não estou nem perto disso...
Existem tantas pessoas por aí... Tantos têm lá os seus privilégios e a minha vida é tão sofrida pra conseguir uma migalha... E nada se compara ao que eles podem ter...
Meus amigos estão por aí, subindo na vida e concluindo novos projetos... Eu estou seguindo, mastigando todos os dias as frustrações dos meus.
Meus amigos têm relações seguras, conduções mais dignas, trabalhos menos desgastantes, humor mais leve... Meus amigos têm roupas resistentes, investimentos em algo futuro, capacidade de adaptação, pensamento rápido, dispensas melhores e sorte...
Meus amigos me oferecem caronas em carros novos, quando tudo o que eu posso comprar são produtos defeituosos que em uma semana voltam para a loja... E quando eles sabem do que tenho, dizem que está sobrando pra mim...
Meus amigos realizam casamentos, têm esposas em casa, crianças de colo, quartos confortáveis... Minha casa não para mais em pé... Duas vigas arcadas suportam o teto. Eu e minha mãe... Gememos de dor debaixo do peso... Minha família foi estilhaçada sem que eu soubesse como e mesmo assim todos se foram pra longe...
Meus amigos são bonitos, têm corpos fortes, são resistentes ao frio... Eu não sobrevivo aos resfriados... Exercito meu corpo para me sentir mais confiante, para ser bonito, mas não tenho isso e nunca terei... Tenho só um corpo semi deformado que não responde aos estímulos...
Meus amigos olham para o futuro confiantes em si e no mundo, eu não consigo olhar para o futuro sem sentir isso que estou sentindo agora a cada letra que digito... Eu sinto meus olhos tentando sair de órbita, sinto que olhar para o futuro dói tanto como olhar para o sol...
Mas é noite e todos estão dormindo... E eu não vou gritar para acordar ninguém, porque todos vão rir de mim. E mesmo que não façam isso, vão se virar para seus próprios projetos, porque na realidade todos eles têm o que eu não posso ter: família de verdade, moradia segura, amigos de verdade, amor pra toda a vida, sentimento de pertença, valor, reconhecimento, dinheiro, sorte, e tudo aquilo que eu tento buscar sem nenhum resultado...
Não sei se haverá uma outra vida depois dessa...
Não sei se haverá uma recompensa pelo sofrimento...
Não sei de nada e nem estou interessado em saber, porque de lá pode vir apenas mais uma decepção...
Por que?
E por que ainda existe alguma crença num INFERNO?




Oswaldo Juliano Sandi

POEMA DO BOM HUMOR NA QUINTA-FEIRA CHUVOSA E FRIA...


. . .



Oswaldo Juliano Sandi

quarta-feira, 6 de abril de 2011

DESPEDIDA


E no final, quando não sobrar mais nenhuma palavra a ser dita... Será que ainda existirá algum propósito antes de seguir-mos com nossas vidas?


Oswaldo Juliano Sandi

quinta-feira, 31 de março de 2011



Se o que é sagrado perde seu caráter de sagrado, já não é mais, mesmo o sendo...


Oswaldo Juliano Sandi

Toda aglomeração humana se torna, aos poucos, desumana...
É que o homem é desumano por natureza...



Oswaldo Juliano Sandi

segunda-feira, 7 de março de 2011

APENAS UMA MÚSICA BOBA SOBRE VOCÊ...

Sim, é segunda-feira... Mas continua esta cara de domingo só porque é feriado e eu odeio domingos e feriados em casa... ainda mais quando fico meio doente...
Então, ouvindo L. Gaga, pensei em uma música boba sobre você e sobre como nos perdemos por este caminho.
Claro, você nunca mais lerá meu blog e isso me dá um alívio quase santo...






Brown Eyes
In your brown eyes, walked away
In your brown eyes, couldn't stay
In your brown eyes, you watch her go
And turn the record on
And wonder what went wrong
What went wrong
If everything was everything
But everything is over
Everything could be everything
If only we were older
Guess it's just a silly song about you
And how I lost you
And your brown eyes
In your brown eyes, i was feeling low
'cause they're brown eyes and you never know
Got some brown eyes, but a sorrow face
I knew that it was wrong
So baby, turn the record on
Play that song
Where everything was everything
But everything is over
Everything could be everything
If only we were older
Guess it's just a silly song about you
And how I lost you
And your brown eyes
Everything was everything
But baby it's the last show
Everything could be everything
But it's time to say goodbye so
Get your last fix, and your last hit
Grab your old girl with her new tricks
Honey yeah, it's no surprise
I got lost in your brown eyes
In your brown eyes
Brown, brown eyes
Your brown eyes
Brown, brown eyes
Got some brown eyes
Brown, brown eyes
Brown eyes


Oswaldo Juliano Sandi

domingo, 20 de fevereiro de 2011

MOMENTOS DE CRISE...


Tenho pensado muito estes dias sobre o que acontece comigo no momento... Vejo as pessoas evoluírem, vejo amigos indo e vindo com uma velocidade e força extremas. Relações fortíssimas são rompidas e desejos severos morrem sem serem avaliados...
Minha vida continua do mesmo jeito, mas eu sei que estou passando por alguma crise que me move o espírito para algo além. Os amigos de verdade continuam os mesmos, mas eu mesmo não o sou. Minha família continua a mesma mistura radical e arriscada de sempre, mas eu mesmo não afundo mais.
Um amigo me disse que toda crise, se no espírito, é para algo melhor e se sinto isso somente no meu espírito, prefiro acreditar que é sinal de evolução de alguma forma.
Espero um crescimento descomunal para a próxima estação... Não tenho armas, nem previsões a meu favor, somente o risco... mas estou ansioso pela mudança para MELHOR...

Gostaria de dividir aqui, algumas citações que encontrei nos perfis de meus amigos nas redes sociais e que estão marcando muito esta fase de mudanças e crises.

Este é do perfil do Marcos Paulo:
"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

E este é do perfil da Raquel:
"Não vejo razão para perder a esperança, não sinto as horas pesarem, nem tenho a horrível sensação de estar a caminho da destruição, do nada, procuro construir um mundo novo, sentir prazer em viver e superar os entraves que aparecem. Deus me fez com um bom sentido porque ele é bom. Sustento o pensamento alto e deixo os dias rolarem. Tenho certeza que caminho para melhor. Acredito em Deus, em mim mesmo e nos favores do tempo. Trabalho com entusiasmo. As preocupações não me fazem perder o sono. O futuro começa no pensar de agora."

Um abraço carinhoso a todos e que tenhamos sempre a dádiva de evoluirmos para melhor, mesmo que isso seja precedido pelo risco e pelo medo...
Obrigado pela amizade e pelo apoio de todos!!!



Oswaldo Juliano Sandi

terça-feira, 11 de janeiro de 2011


A felicidade não é um destino...
A felicidade não é um estado...
A felicidade é somente um método para lidar com a tristeza... nada mais...

Oswaldo Juliano Sandi

VENDAVAL


O vento rugia lá fora no momento em que eu acordei. Qualquer vendaval me acorda e eu não consigo mais dormir. Passo a madrugada em claro e não volto pra cama.
Enquanto ouvia o grito do vento chacoalhando esta casa frágil, lembrei do que ele disse:
"Nossa vida bem que podia dar uma guinada..."
Meu amigo ainda é sonhador. Ainda acredita em milagres.
Eu estou aqui sentado pensando por que não dormi mais cedo. Pensando que não valeu a pena ter calculado meu sono. Pensando que daqui a pouco sou eu e o vento... e a chuva...
Eu correndo na chuva pra ir ao trabalho. Pra comprar um pouco de dignidade. Pra comprar sonhos pechinchados, porque não dá pra muito...
É, meu amigo, você pode até ser mais velho, mas de nós dois, é o único que carrega uma criança. Eu sou uma alma amarga vagando como penada...
E o único vento que abre minhas asas é este, que me acorda no meio da madrugada, roubando meu sono e traumatizando...





Oswaldo Juliano Sandi

domingo, 9 de janeiro de 2011

LESSON LEARNED


"That you never saw the signs
That you never lost your grip
Oh, come on now
That's such a childish claim
Now I wear the brand of traitor
Don't it seem a bit absurd
When it's clear I was so obviously framed
When it's clear I was so obviously framed..."
Lesson Learned
Ray Lamontaigne




Na hora que ele chamou, fiquei desolado. Era meu pai. Chamando por qualquer pessoa dentro desta casa, como um estranho que o cachorro tenta mandar embora.
Odeio as palavras doces que ele me diz. Odeio quando me trata bem e segura minha mão, cumprimentando-me, olhando em meus olhos...
A verdade é que quero culpá-lo pela culpa de ninguém.
Peguei uma garrafa de vinho que estava guardada e abri. Como não consegui retirar a rolha, empurrei-a para dentro da garrafa e ela ficou lá, como todo o ressentimento preso dentro de mim, que nunca sairá... e tomei até a última gota.
Ele foi embora e eu me sentei no sofá... chorando... soluçando como um desconsolado, como alguém que perdeu um ente querido. Não entendo... só sei que foi somente o adiantamento da perda.
Odeio domingos e como são silenciosos.
Odeio pensar no tempo que leva para se puxar um gatilho.
Odeio dormir fora e acordar tão tarde...
Odeio as invasões e odeio como tentam nos fazer acreditar que tudo estará sempre sob controle...
Odeio todas estas situações em que vivo e acredito realmente que nunca haverá uma saída...



Dentre nossas lições aprendidas, ele deve atravessar todos os dias a estrada escura que leva até sua casa, naquele monte isolado...

E eu tentarei todos os dias atravessar esta mesma escuridão, tentando sem nenhum sucesso e sem nenhuma chance encontrar consolo e proteção em seus braços...





Oswaldo Juliano Sandi

sábado, 8 de janeiro de 2011


A gente maquia, a gente tenta ter enfrentamentos, a gente faz de tudo pra dizer que a felicidade existe...
Mas ela tá nos momentos tão pequeninos, tão pequeninos, que nem sei se compensa passar tanta coisa pra ter um suspiro de felicidade, amor, afeto...


Oswaldo Juliano Sandi